Vacinação

Cuidar da saúde de um animal de estimação é essencial e a vacinação é, sem dúvida, um dos cuidados mais importante tanto para o filhote como para o cão adulto deixando seu companheiro protegido contra várias doenças.

Para ser vacinado, o animal deve estar saudável, sem febre ou diarreia e previamente vermifugado. Hoje em dia é comum os veterinários fazerem exames laboratoriais para saber se os filhotes estão completamente sadios e, assim, o organismo do pet pode responder bem ao estímulo das vacinas. Os filhotes, até os 45 dias de vida, estarão protegidos por anticorpos maternos adquiridos durante o período de gestação e pelo aleitamento mas, após esse período, eles devem receber essa proteção através das vacinas.
Os cães devem tomar, obrigatoriamente, as vacinas múltiplas (V8 e V10) que protegem contra a cinomose, leptospirose (2 ou 4 cepas), hepatite infecciosa canina, adenovirose, coronavirose, parvovirose e parainfluenza canina e a vacina contra a raiva.
Existem, também, outras vacinas importantes como: Tosse dos canis, Giardíase. a partir de 8 semanas de idade e a Leishmaniose Visceral Canina que deve ser aplicada em cães a partir de 4 meses de idade, saudáveis e soronegativos para Leishmaniose . O protocolo completo deve ser feito com 3 doses, respeitando o intervalo de 21 dias entre cada dose (aplicação).
A imunidade se inicia 21 dias após a administração da segunda dose da vacina e o cão deve frequentar as ruas e entrar em contato com outros cães depois de devidamente imunizados com todas as doses das vacinas . A revacinação é anual de todas as vacinas e a leptospirose é indicada a revacinação semestral em áreas endêmicas. 
Lembre-se que o médico veterinário é o único profissional capacitado para fazer um correto plano de vacinação avaliando as condições e verificando se o animal está apto a receber as vacinas